Seja bem vindo!

Que a paz de Cristo possa estar presente em sua vida sempre...Obrigada pelo carinho!


quarta-feira, 12 de julho de 2017

Se...

Se não fosse o medo
Se não fosse a mudança
Se não fosse o tempo
Se não fosse as marcas
Se não fosse a insegurança 
Se não fosse a incerteza
Se não fosse...
Seria certeza 
Seria inovadora
Seria jovem
Seria linda
Seria confiante
Seria plenamente eu! 

sábado, 1 de julho de 2017

Ela tenta...

Ela olha e não se vê.
Seu corpo mudou, ela não se reconhece,
Está insegura.
Todas são mais lindas que ela.
Ela não sabe trajar seu corpo,
Seu novo corpo.
Ela não se sente ela...
Os dias são corridos,
Trabalho, casa, filhos...
E ela vai ficando em último lugar
Até estar cansada demais
E o último lugar passa a não existir
Ela tenta...tenta...tenta...
Ela hoje só queria desabrochar.

NENHUMA MULHER SE ACHA BONITA

Arte de Cínthya Verri

Toda mulher bonita não se acha bonita. Mesmo a mais bonita.

É alguma coisa que não agrada: a orelha, o pé, a mão. São detalhes imperceptíveis para a tripulação barbuda. Ou as veias estão muito saltadas ou as unhas quebram rápido.

Uma coisinha que somente ela nota.

E ela sofre duas vezes: quando alguém descobre e quando ninguém enxerga.

A segunda opção é a mais triste. Caso o problema passar despercebido, partirá do princípio de que é tão insignificante que não merece a atenção dos outros.

Toda mulher se vê filha única do defeito. E não é um defeito, mas uma cisma. A maior parte dos defeitos é superstição.

Talvez o martírio feminino venha do excesso de controle: ela se olha demais, e tudo ganha o dobro de importância. O homem se olha de menos, e nunca teve estrias e celulite.

Para a mulher, espelho é lupa. Para o homem, espelho é janela.

Uma espinha, por exemplo, quando descoberta por uma mulher torna-se o próprio rosto. O rosto não existe mais, somente a espinha, que é alisada a cada preocupação.

Mulher não se acha realmente bonita. Nem Brigitte Bardot antes. Nem Gisele Bündchen agora.

Mulher nenhuma no mundo é vaidosa; vaidade é a confirmação de um atributo e ela desconhece suas qualidades.

Mulher nenhuma acredita que é bonita, apenas disfarça que é bonita.

O elogio que recebe soa como ironia. A ausência de elogio soa como reclamação.

Arrumar-se de manhã para a mulher não é um prazer, e sim um pânico.

No fundo, ela se considera um encalhe. Jura que qualquer novo amor é resultado de compaixão ou cegueira masculina.

Mulher não nasce bonita, torna-se provisoriamente bonita (em sua concepção, a beleza dura apenas um dia).

Ela se monta por 24h, mais do que isso não consegue: carrega o medo de se desmanchar com a luz e desiludir a expectativa do próximo.

Seus cuidados são vinganças: à infância, ao deboche da família, ao bullying na escola.

Dentro dela, ela continua uma nerd. Guardará para sempre a imagem de menina inteligente e problemática, de gorda balofa, de desengonçada e fora do time, de alta girafa, de sardenta enferrujada, de vesga fundo de garrafa.

Não adianta convencê-la de que ela é linda, ela se acorda despenteada e nasce de novo, como se não tivesse vivido antes.

Não é falsa modéstia, sequer é modéstia, ela se percebe feia. Toda mulher bonita acredita que, no máximo, pode se ajeitar.

Em seus olhos, corre uma insatisfação permanente que não permite descanso e luto.

Se seus cabelos são lisos, ela gostaria que fossem cacheados; se são cacheados gostaria que fossem ondulados, se são ondulados gostaria que fossem crespos.

A beleza é uma conclusão. E toda mulher vive de dúvidas, toda mulher é uma pergunta. Uma insaciável pergunta.



Crônica publicada no site Vida Breve

domingo, 11 de agosto de 2013

É só amar!

Não é vitimização! É dor de verdade...
Dói ouvir palavras duras...
Dói a falta de um abraço...
Dói a ausência de carinho...
As palavras ditas afogadas por lágrimas
são carregadas de sinceridade e dor,
A única cobrança que deveríamos ter
é a de mais amor, mais amor e mais amor...
No final de tudo, o que nos fortalecerá será o que sentimos e dedicamos ao outro.
Assim aprendi, e sempre achei perfeita essa lógica, a de amar o outro do jeitinho que ele é,
do jeitinho que ele pode ser...

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Tuas palavras



Tuas palavras afagam,
renovam o sentimento sublime,
vivificam os dias.

Ser o melhor um dia, é teu desejo.
O melhor que tenho todos os dias, minha realidade.

Ecoam tuas palavras,
escritas, lidas, ditas...
como sinfonia ao meu coração.

quinta-feira, 21 de março de 2013

"Eu só queria saber, como ocupar esse espaço."

                 "Prazeres escravos, não os compreendo."
                         
                                "Que minhas lágrimas sirvam para lavar meu coração entristecido."

                   "Eu sei que vai passar, um dia...eu sei."

"E o silêncio insiste em ser meu companheiro."